Pesquisa personalizada

sexta-feira, maio 09, 2008

Bookcrossing: pense numa idéia!



Ando curioso em relação a um assunto que tá na moda nesta última semana.

Acontece que eu estava folheando a revista Galileu deste mês em busca de algo realmente interessante para matar o tempo e lá pro finalzinho dela me deparei com uma matéria bem legal sobre esse danado desse bookcrossing.

Bookcrossing é um projeto idealizado por um cara chamado Ron Hornbaker que consiste em você ler um livro, deixar num local público para outra pessoa ler e esta pessoa fazer o mesmo e assim sucessivamente. Genial, né não?!

Ele pensou: "Bem, eu leio pra caramba, adoro livros, tenho um monte deles e quero ler mais um monte. E se eu contribuir para que todo mundo tenha o hábito de socializar seus livros?" Aí tudo começou com uma brincadeira. Ele catalogou um monte de livros num site que ele criou e os largou em um monte de lugares. Cada livro tinha uma mensagem informando a pretensão do projeto e um pedido para quem pegasse o livro o registrasse no site, para que se pudesse acompanhar a trajetória desse livro. Depois de ler, a pessoa o deixaria em qualquer outro lugar publico.

Funciona? Em parte. Claro que muita gente deu o ganha nos livrinhos! kakakakaka

Para minimizar esse problema foram criadas as "zonas oficiais de troca de livros" que são simplismente lugares abertos ao público onde as pessoas já podem ir com interesse em fazer bookcrossing. São cafés, bares, restaurantes, enfim... qualquer lugar em que se possa deixar um livro. No Brasil já existem duas dessas zonas. Uma no Rio e a outra em São Paulo.

O fato é que hoje qualquer pessoa pode entrar no jogo. Basta cadastrar os livros que deseja no site
bookcrossing.com, etiquetá-los com os números de identificação dados no site e deixá-los nos lugares desejados.

E você, já fez ou faria bookcrossing?

2 comentários:

marina disse...

e mandar livros pra outra cidade poderia ser outra etapa do processo? ;}

M. Spiegel disse...

Participo do Bookcrossing há vários anos. Cerca de 3% dos livros que larguei na rua deram retorno, alguns depois de mais de um ano. Também troco livros pelo correio ou em encontros com outros participantes.